OS TAPETES NAS RUAS


Era já da tradição os enfeites nas ruas, na passagem do rei D. Manuel I, quando este passava para Santiago de Composta em 1525 quando deram o nome à “vila dos Arcos”, emergindo o mesmo espírito festivo com a Senhora do Castelo.
Na primeira peregrinação, em 1899, as ruas foram atapetadas com flores para a passagem da Senhora. E este gesto aclamativo e carinhoso tem sido mantido ao longo destes anos.
Em algumas épocas, quando muitos jovens participavam com todo o seu empenho e entusiasmo, tornou-se espectáculo de arte e rivalidade, a decoração das ruas, a que eram atribuídos prémiospor parte da Comissão de Festas, ao melhor tapete da rua. Os moradores e comerciantes de cada rua organizavam-se e faziam festa naquela noite da véspera da peregrinação, antecedida de muitas outras com a preparação das flores e tintas.
As ruas Dr. Cerqueira Gomes (Direita), Amorim Soares (dos Açouges), General Nortan de Matos (Amilcar Mota / Correio), S. João (Valeta), Lira, Nunes de Azevedo e ainda a Praça Municipal, foram espaços de graciosas criações artísticas, que só a memória e algumas fotografias registam.
Também no percurso de Vila Fonche, na curva de Casal Soaeira, no Outeiro e à entrada do Santuário, esta tradição tem tido lindas amostras.
Neste final de século, a diminuição da camada jovem da população nos trabalhos dos tapetes de rua tem vindo a decair, verificando-se grandes dificuldades na concretização deste gesto para com a Senhora do Castelo.
Sendo assim o percurso nas ruas da vila da procissão para o Monte do Castelo, é efectuado do seguinte modo: sai da Matriz, desce a Praça Municipal, segue pela Rua Direita, desce a Rua Amorim Soares, segue pelo Campo do Trasladário, sobe a rua 25 de Abril e Norton de Matos, Largo da Lapa e desce a Rua de S. João e Valeta, sobe à rua do Lira, segue pela Rua Soares Pereira até à Lapa, sobe a Rua Nunes de Azevedo, seguindo por Vila Fonche até o Monte do Castelo.

Voltar
Editado a 22 Fevereiro 2016
257
FREGUESIA DE S.SALVADOR, VILAFONCHE E PARADA